FAIL (the browser should render some flash content, not this).

QUEIMADURAS

  DEFINIÇÃO - Queimaduras

Queimaduras são lesões dos tecidos orgânicos em decorrência de trauma de origem térmica resultante da exposição a chamas, líquidos quentes, superfícies quentes, frio, substâncias químicas, radiação, atrito As principais alterações que ocorrem num processo de queimadura são: aumento de permeabilidade capilar e inchaço. A agressão térmica promove a liberação de uma série de substâncias inflamatórias levando ao inchaço

Tipos de Queimaduras

Queimaduras térmicas;

Queimaduras químicas;

Queimaduras elétricas;

Queimaduras por radiação;

Queimaduras por atrito;

Queimadura por frio.

Gravidade das Queimaduras

A gravidade da queimadura está relacionada com a profundidada e a extensão da queimadura.

Queimadura de Primeiro Grau

Atinge apenas a epiderme (camada mais externa) . Clinicamente caracteriza-se por eritema e dor local sem a presença de bolhas ou flictenas. Um bom exemplo é a queimadura solar.

 

queimadura segundo grau
Queimadura de Segundo Grau

Quando ocorre tanto queimadura tanto a derme quanto a epiderme. A característica mais marcante é a presença de bolhas.

 

 

queimadura terceiro grauQueimadura de Terceiro Grau

 

É uma queimadura que acomete todas as camadas da pele . A lesão característica apresenta-se com aspecto duro, inelástico, esbranquiçado ou marmóreo, perda de sensibilidade no local . Como há destruição de todas as camadas da pele, ocorre também destruição das terminações nervosas, e assim, esse tipo de lesão é indolor.

 

SUPERFÍCIE CORPORAL QUEIMADA

Para o cálculo da superfície corporal queimada (SQC) podem ser utilizados 2 esquemas: - Esquema de Lund-Browder - Regra dos Nove Nos serviços de emergência, durante o atendimento inicial ao paciente queimado, utiliza-se a regra dos nove que, devido sua praticidade. Regra dos Nove:

regra dos nove

 

- De maneira prática, considera-se a palma da mão do paciente como equivalente a 1% de SCQ.  

  QUEIMADURAS QUE DEVEM SER ENCAMINHADAS A UM CENTRO ESPECIALIZADO DE QUEIMADOS

  Queimaduras de espessura parcial superiores a 10% da superfície corporal

; Queimaduras que envolvem a face, mãos, pés, genitália, períneo e/ou articulações importantes

; Queimaduras de terceiro grau em grupos de qualquer idade;

Queimaduras causadas por eletricidade, inclusive aquelas causadas por raio;

Queimaduras químicas;

Lesão por inalação;

Queimadura em pacientes com problemas médicos preexistentes;

Qualquer paciente com queimaduras e trauma concomitante (tais como fraturas, etc.) no qual a queimadura apresenta o maior risco de morbidade ou mortalidade;

Crianças queimadas sendo tratadas em hospital sem pessoal qualificado ou equipamentos para o cuidado do caso.

  TRATAMENTO DAS QUEIMADURAS  

PRIMEIRO ATENDIMENTO DO PACIENTE QUEIMADO

Exame básico (ATLS)

A – Vias Aéreas
B Boa Respiração
C Circulação  
D Dano Neurológico
E Exposição Cuidados imediatos
Parar o processo da queimadura, retirando objetos que possam perpetuar o processo ( relógio, pulseira, anéis, lentes de contato,etc.)

  Cuidados iniciais
Remoção de roupas queimadas ou intactas nas áreas da queimadura; Avaliação clínica completa e registro do agente causador da extensão e da profundidade da queimadura; Analgesia: oral ou intramuscular no pequeno queimado e endovenosa no grande queimado. Pesquisar história de queda ou trauma associado; Profilaxia de tétano; Hidratação oral ou venosa (dependendo da extensão da lesão).

Cuidados locais
Aplicação de compressas úmidas com soro fisiológico até alívio da dor. Remoção de contaminantes

  • Verificar queimaduras de vias aéreas superiores, principalmente em pacientes com queimaduras de face.

Verificar lesões de córnea; Resfriar agentes aderentes (ex. piche) com água corrente, mas não tentar a remoção imediata; Em casos de queimaduras por agentes químicos, irrigar abundantemente com água corrente de baixo fluxo (após retirar o excesso do agente químico em pó, se for o caso), por pelo menos 20 a 30 minutos. Não aplicar agentes neutralizantes, pois a reação é exotérmica, podendo agravar a queimadura; Após a limpeza das lesões, os curativos deverão ser confeccionados.

  Reposição hidro-eletrolítica (Grande Queimado) Cateterizar preferencialmente veia periférica de grosso calibre e calcular reposição inicial: Pela fórmula de Parkland: 4 ml/kg de peso corporal/percentagem SQC, de Ringer com Lactato. Sendo que, para fins de cálculo inicial, programa-se que a metade deste volume deva ser infundida nas primeiras 8 horas após a queimadura. Exemplo:  Homem 70kg com 30% SQC Volume de Ringer = (4ml/kg x 70kg) x 30 = 8400ml  Grande queimado adulto: iniciar 2.000 ml de Ringer com Lactato para correr em 30 minutos; Grande queimado criança: iniciar 30 ml/kg para correr em 30 minutos.Independentemente do esquema inicial escolhido,deve-se observar diurese a partir da primeira hora, e controlar a hidratação para que se obtenha 0,5 a 1ml/kg/hora ou (30-50ml) em adultos e 1ml/kg/h em crianças.    

TRATAMENTO DA LESÃO DO PACIENTE QUEIMADO

Queimadura de Primeiro Grau
Analgesia via oral ou e hidratação local com compressas úmidas e cremes emolientes.

Queimadura de Segundo Grau
Além da analgesia e hidratação local também é necessária limpeza através de debridamento de bolhas (bolhas íntegras não precisam ser debridadas) e confecção de curativos. O curativo pode ser realizado com gazes vaselinadas (para não aderir à lesão) e gazes secas, chumaço de algodão e ataduras. Nos membros o curativo deve ser oclusivo e deve-se evitar oclusão em orelhas e períneo. A troca do curativo deve ser feita a cada 2 ou 3 dias até que se atinja a cicatrização entre 8 e 10 dias. O paciente deve ser mantido em repouso e com o membro elevado.
Queimadura de Terceiro Grau
O paciente deve ser encaminhado a um centro especializado no atendimento a queimados.
Escarotomia: É um procedimento emergência realizado por um medico com experiência no atendimento a queimados. No caso de queimaduras de espessura total (3o grau) circunferenciais de membros ou do tronco, pode ser necessária a realização de escarotomia. O edema tecidual pode causar compressão de estruturas em membros e predispor à necrose de extremidades. O aspecto duro e inelástico da pele com queimadura de terceiro grau restringe os movimentos respiratórios e pode levar a insuficiência respiratória. Este procedimento deve ser realizado na sala de emergência ou mesmo no leito do paciente. É feita a incisão da pele em toda a sua espessura, atingindo-se o subcutâneo. A pele queimada de terceiro grau é insensível, mas pode ocorrer dor com a incisão atingindo o subcutâneo. Analgesia proporcional à dor deve ser administrada por via venosa.
Fasciotomia:
Procedimento realizado na emergência por cirurgião experiente, indicado quando se suspeita de síndrome de compartimento no antebraço ou perna, geralmente em lesões decorrentes da passagem de corrente de alta voltagem.
Desbridamento cirúrgico: Indicado praticamente em todos os casos de queimaduras de terceiro grau. Deve ser realizado no centro cirúrgico, sob anestesia.
Enxerto: O enxerto de pele é realizado para se obter o fechamento da ferida de terceiro grau. Curativo biológico: No caso de feridas excisadas, quando não se dispõe de pele autógena suficiente para a cobertura da ferida, ou em lesões de segundo grau profundo, ou lesões que necessitem de cobertura temporária eficiente, pode-se utilizar membranas biológicas.
Curativos sintéticos: Existe atualmente uma gama enorme de materiais sintéticos que podem substituir a pele temporariamente.

 

Copyright 2010 © Curamed
All rights reserved.  Privacy Policy

Avenida Pacaembu, 1882
São Paulo - SP
Tel:11-4111-3337

 

home | úlcera varicosa | escaras |pé diabético |queimaduras | abertura de pontos | curativos |
ferida traumática |quem somos | equipe | contato | tipos de feridas | curativo a vácuo